NOTÍCIAS DO BRASIL

INTERIOR DE GOIAS – Prefeito eleito morre de Covid-19

Publicados

em

A morte do prefeito eleito de Itaguaru, Didi Filgueira (PTB), 61 anos, na segunda-feira (16), um dia após as eleições, por complicações da Covid-19, chocou a família e os moradores da cidade. Irmão do político, o professor Eduardo Filgueira disse que Didi não chegou a receber a notícia da vitória no pleito, pois estava entubado em um hospital de Goiânia e teve uma piora em seu quadro clínico.

Didi foi internado no dia 1º de outubro, após começar a apresentar os primeiros sintomas da Covid-19. Dias depois ele foi entubado e transferido para um leito de Unidade de Terapia Intensiva. No dia 30 de outubro, foi retirada a ventilação mecânica, e ele apareceu em um vídeo com uma máquina de oxigênio fazendo sinal de positivo. Porém, o estado de saúde dele acabou se agravando novamente.

“Viemos fazer uma visita para informar sobre a vitória, e os médicos nos informaram que de sábado para domingo ele teve uma pequena piora, mas que a piora persistiu”, disse a esposa dele, Darcimeire Fernandes, em um vídeo postado nas redes sociais.

Leia Também:  Prefeitura de Cascavel libera festas com até 100 pessoas

Didi teve 53,90% dos votos. Foram 2.368 votos no total. O candidato derrotou Chitão (PP), que ficou em segundo lugar com 44,07% (1.936 votos). Conforme jurisprudência de casos semelhantes julgados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o vice assume o posto. No caso de Didi, seu vice, que assumirá o cargo, é Fernando Araújo (PDT).

Comoção na cidade

Eduardo disse que a morte comoveu a cidade de Itaguaru, que tem pouco mais de 5 mil habitantes e está situada a 122 km de Goiânia. Ele afirma que Didi participou apenas da convenção que escolheu seu nome para a disputa, pois, logo depois, foi internado.

Segundo Eduardo, pelo fato de a morte ter ocorrido em virtude de complicações da Covid-19, não haverá velório. Está previsto, porém, um pequeno cortejo até o cemitério. O enterro, sem horário definido, deve ser realizado ainda nesta manhã.

Ele deixa esposa, três filhos e dois netos.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

NOTÍCIAS DO BRASIL

Taxa de transmissão do novo coronavírus no Brasil é a maior desde maio

Publicados

em

Por

A taxa de transmissão do novo coronavírus (Rt) no Brasil nesta semana é a maior desde maio, de acordo com monitoramento do centro de controle de epidemias do Imperial College de Londres, no Reino Unido. O índice passou de 1,10 no dia 16 de novembro para 1,30 no balanço divulgado nesta terça-feira, dia 24.

A última vez que a taxa de transmissão se aproximou deste patamar no país foi na semana de 24 de maio, quando atingiu 1,31. A taxa de contágio (Rt) indica para quantas pessoas um paciente infectado consegue transmitir o novo coronavírus.

Quando ele é superior a 1, cada infectado transmite a doença para mais de uma pessoa. Isso representa o avanço da doença. Para a epidemia em um país ser considerada controlada, a taxa de transmissão precisa estar abaixo de 1. De acordo com os números atuais, cada 100 pessoas contaminadas transmitem o vírus para outras 130.

Há duas semanas, o número ficou em 0,68, o menor valor desde abril. A data coincide com o atraso na atualização de casos e mortes por Covid-19 pelo Ministério da Saúde. Problemas técnicos atrasaram o registro de novos casos e mortes.

Leia Também:  Proprietário de lava jato é morto a tiros no centro de Campo Mourão

A pasta reconheceu na sexta-feira, 13, indícios de um ataque cibernético em seu sistema, mas ainda não há laudo conclusivo. Como o estudo considera esses dados, as estimativas também foram afetadas. A taxa de contágio retrata uma média nacional, sem abordar as particularidades de cada estado ou região.

Da Gazeta do Povo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

QUARTO CENTENÁRIO

PARANÁ

POLICIAL

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA