NOTÍCIAS DO PARANÁ

69% das cidades do Paraná não registraram mortes por covid-19 na última semana

Publicados

em

Praticamente sete em cada 10 cidades do Paraná não reportaram mortes por covid-19 na última semana. O levantamento feito pelo Paraná Portal considerou os boletins diários publicados pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) nos últimos sete dias.

Entre os dias 30 de setembro e 6 de outubro, pelo menos 122 municípios reportaram ao menos um óbito por complicações da doença causada pelo coronavírus. Os registros se concentram nas cidades mais populosas ou com maior densidade demográfica.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, 398 dos 399 municípios do estado confirmaram mortes por covid-19. Boa Esperança do Iguaçu, um pequeno município com 2,4 mil habitantes no sudoeste paranaense, é o único com os registros zerados.

QUEDA NAS MORTES É RESULTADO DA VACINAÇÃO

O Paraná começou a registrar uma queda acentuada de mortes causadas pela covid-19 no momento em que aumentou o número de pessoas com o esquema vacinal completo – com duas doses da vacina ou com o imunizante de dose única.

Durante o mês de setembro, a Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) confirmou 1.597 óbitos em um período de 30 dias. Foi o número mais baixo desde novembro de 2020, quando 934 mortes foram registradas.

Leia Também:  Bebê morre ao ser atropelada acidentalmente pelo avô

Segundo dados oficiais divulgados nos canais de transparência do Paraná, entre setembro e agosto, houve queda de 28% no número de mortes causadas pela covid-19. Na comparação entre setembro e julho, o recuo foi de 64%.

MORTES PELA COVID-19 NO PARANÁ EM 2021:

  • Setembro: 54.094 casos confirmados – 1.597 óbitos
  • Agosto: 78.956 casos confirmados – 2.238 óbitos
  • Julho: 94.336 casos confirmados – 4.505 óbitos
  • Junho: 190.455 casos confirmados – 4.267 óbitos
  • Maio: 145.558 casos confirmados – 4.018 óbitos
  • Abril: 101.310 casos confirmados – 5.654 óbitos
  • Março: 198.303 casos confirmados – 5.019 óbitos
  • Fevereiro: 97.241 casos confirmados – 1.628 óbitos
  • Janeiro: 131.772 casos confirmados – 2.041 óbitos

VACINA É FUNDAMENTAL, DIZ SECRETÁRIO

No início de outubro, o Paraná ultrapassou a marca de 60% da população adulta imunizada com as duas doses da vacina contra a covid-19. O boletim mais recente aponta que 5.480.277 paranaenses concluíram o esquema vacinal.

Recentemente, o Ministério da Saúde reduziu o intervalo entre as doses da Pfizer de 12 para oito semanas, o que deve acelerar o processo. O adiantamento da convocação para a segunda dose é feito pelas secretarias municipais, conforme disponibilidade de estoque.

Leia Também:  Banco Central libera oficialmente transferências bancárias pelo WhatsApp

“Se o imunizante necessita de duas doses, é porque o efeito propriamente dito, da proteção contra a doença, só vai ser efetivo após completado o esquema vacinal. A segunda dose é fundamental”, alertou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

NOTÍCIAS DO PARANÁ

Pedágio no Paraná: 14 praças liberam as cancelas; veja as orientações de segurança

Publicados

em

Por

Desde a meia-noite deste sábado (27), com o fim dos contratos de concessão, 14 praças de pedágio liberaram as cancelas nas rodovias do Paraná. Às 23h59, outras 13 praças serão desativadas, alcançando todas as 27 praças existentes até domingo (28).

Pela primeira vez em 24 anos, a administração das rodovias federais e estaduais do Paraná retorna para o poder público. Desde 1997, as estradas eram administradas pelas seis concessionárias que atuavam no Estado.

Com o fim dos contratos, os trechos federais ficam sob responsabilidade do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). Os trechos estaduais passam para o DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem).

PEDÁGIO: O PLANO DE OPERAÇÃO DO GOVERNO DO PARANÁ

Embora a data do fim dos contratos de concessão fosse conhecida desde a assinatura, há duas décadas, o governador Ratinho Junior (PSD) deixou o anúncio detalhado sobre o plano de operação do Governo do Paraná para esta sexta-feira (26).

Segundo ele, as praças de pedágio permanecem desativadas até que um novo modelo de concessão seja implementado. Até lá, o patrulhamento dos locais será de responsabilidade da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e PRE (Polícia Rodoviária Estadual).

A expectativa é de que o novo leilão de concessão das rodovias paranaenses, válido pelos próximo 30 anos, seja concluído no terceiro trimestre de 2022. O Governo do Paraná espera investimentos de R$ 44 bilhões em obras de infraestrutura.

ratinho junior, tarcísio de freitas, ministério da infraestrutura, dnit, der, antt, transporte, rodovia, rodovias, anel de integração, pedágio
Acordo para o novo leilão do pedágio foi costurado entre Ratinho Junior (esq.) e Tarcísio de Freitas (dir.), ministro da Infraestrutura (Jonathan Campos/AEN)

O Governo do Paraná frisou que os acordos já estabelecidos judicialmente continuam valendo mesmo após o fim dos contratos. Além disso, as obras que estão em andamentos nas rodovias do Paraná serão entregues.

Leia Também:  Brasil ultrapassa 100 milhões de pessoas com ciclo vacinal completo

“Estamos falando de uma geração que não conseguiu andar em rodovias não pedagiadas e uma geração que não viu uma rodovia com pedágio justo. Temos que mudar essa realidade para que uma nova geração possa conviver com estradas modernas, com infraestrutura e acima de tudo tenha um preço descente”, detalhou Ratinho Junior, governador do Paraná.

 

TRÁFEGO DE VEÍCULOS COM O FIM DOS PEDÁGIOS NO PARANÁ:

  • carros, motos, caminhões e outros veículos, passarão apenas pelas vias laterais das praças de pedágio (praças centrais bloqueadas);
  • implantações do novo fluxo de tráfego estão sendo feitas pelas concessionárias;
  • tráfego será monitorado pela PRF e PRE.

COMO SERÁ FEITA A REMOÇÃO DE VEÍCULOS COM GUINCHOS?

  • nos primeiros dias do fim das concessões de pedágio no Paraná, a remoção dos veículos, para liberação de pista, será feito pela PM, PRE e PRF;
  • a retirada dos veículos da rodovia é responsabilidade do condutor.

Não haverá atendimento para panes mecânicas, pneus furados ou falta de gasolina. Nestes casos, a responsabilidade é exclusivamente do condutor.

Leia Também:  Sesa: “Não há data prevista para retorno das aulas presenciais nas escolas estaduais”

*Rodovias atendidas pela Econorte (Londrina e norte pioneiro) continuarão recebendo atendimento da concessionária. 

COMOS SERÃO FEITOS OS ATENDIMENTOS DE URGÊNCIAS NAS RODOVIAS DO PARANÁ?

  • o atendimento de acidentes serão feitos pelo Corpo de Bombeiros (SIATE), por meio do Samu.

De acordo com o governo, o investimento mensal será de R$ 2,77 milhões para reforçar os atendimentos nas rodovias. Trinta e oito (32 unidades de suporte básico e seis unidades de suporte avançado) novas ambulâncias foram distribuídas para atendimento prioritário nas estradas.

TELEFONES ÚTEIS

Em caso de acidentes em rodovias federais ou estaduais do Paraná, o cidadão pode contar com o apoio dos órgãos de segurança que já realizam o atendimento nas estradas com ou sem pedágio. Se o trecho foi estadual (PRs e PRCs), a responsabilidade recai sobre a PRE. Em rodovias federais (BRs), o atendimento é feito pela PRF.

Corpo de Bombeiros, sobretudo por meio do Siate, também dispõe de estrutura para fazer o atendimento nas rodovias. Assim como o Samu, responsável originalmente por casos clínicos, mas também com possibilidade de suporte a acidentes.

  • PRF: 191
  • PRE: 198
  • SIATE / CORPO DE BOMBEIROS: 193
  • SAMU: 192
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

QUARTO CENTENÁRIO

PARANÁ

POLICIAL

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA